No âmbito do acordo de cooperação estabelecido com a ARS Norte, e cerca de 40 anos após ter sido nacionalizada, esta unidade hospitalar voltou a ser gerida pela instituição que a construiu em 1863 com capitais angariados, em grande parte, junto dos filantrópicos “emigrantes brasileiros de torna-viagem”.

O documento, assinado a 14 de novembro de 2014 e que entrou em vigor em janeiro de 2015, prevê que o hospital continue integrado no Serviço Nacional de Saúde (SNS) e assegure os seguintes serviços:

  • urgência básica 24 horas;
  • consultas externas, nas especialidades de cirurgia geral, oftalmologia e ortopedia;
  • cirurgias em regime de ambulatório das mesmas especialidades;
  • meios complementares de diagnóstico e terapêutica.